Logo da Câmara de Vitória da Conquista
Imagem Sessão especial comemora dia do surdo

Sessão especial comemora dia do surdo

Câmara de Vitória da ConquistaVereadoresSessão EspecialNotícia

30/09/2022 11:48:00


A Câmara Municipal de Vitória da Conquista realizou na manhã desta sexta-feira, 30, uma Sessão Especial em comemoração ao dia do surdo, celebrado nacionalmente do dia 26 de setembro. A Sessão foi proposta pelos vereadores Adinilson Pereira (MDB) e Nildo Freitas (PSC) e contou com a participação de representantes das entidades que trabalham com pessoas surdas e vereadores.


Um dos autores da sessão, o vereador Adinilson Pereira (MDB) disse que o objetivo da sessão foi trazer para o debate público a importância dessas pessoas, destacando indicações e projetos de lei que favorecem a comunidade surda. O vereador ainda citou o Projeto de Lei (PL) que cria o Dia Municipal dos Surdos no calendário da cidade. Citou também o PL que cria obrigatoriedade de capacitação dos servidores municipais com a Língua Brasileira de Sinais, o PL que institui nas escolas municipais o ensino bilíngue com ensino da linguagem de sinais e o PL que torna obrigatória a presença de intérprete de libras em todos os eventos oficiais do município. Adinilson ressaltou que todas essas leis são de autoria dele, ressaltando também as diversas audiências públicas para discutir o tema. Adinilson aproveitou para cobrar mais políticas públicas e privadas para inclusão dos surdos no mercado de trabalho e ressaltou o trabalho da prefeitura junto a comunidade surda.

Inserção no mercado de trabalho - Líder do Governo na Câmara, o vereador Nildo Freitas (PSC) destacou que, além de comemorativo, o Dia do Surdo é também de reflexão. “Estamos aqui hoje para comemorar o Dia do Surdo. Comemorar e ao mesmo tempo fazer uma reflexão daquilo que essa população ainda enfrenta no Brasil”, apontou ele.

Nildo contou que a Câmara já aprovou projetos que visam garantir maior autonomia à população surda. “Nós temos procurado dar a nossa contribuição para ajudar essa população surda do município de Vitória da Conquista”, disse ele, dando o exemplo da indicação de que a Guarda Municipal tivesse aula de Língua Brasileira de Sinais (Libras). “Estamos ainda cobrando para que isso aconteça. Nós queremos estender esse curso a boa parte dos servidores da Prefeitura de Vitória da Conquista. Todos os seus servidores. Nós precisamos unir força para que isso realmente aconteça”, concluiu o parlamentar.

Oportunidade nos concursos - Nádia Correia, representando a Associação de Surdos de Conquista falou sobre vagas para os surdos em concurso público e relatou a dificuldade dos surdos para aprender o português. “A maioria só sabe a língua de sinais, por isso precisamos adaptar os concursos”, disse. Nádia falou da importância da  lei de cotas  para que o surdos possam concorrer de forma igual. “Em conquista existem surdos com ótimas formações e isso precisa ser reconhecido”, completou. Pediu empatia, “se colocando no lugar dos outros fica mais fácil”. Lembrou que é preciso mais políticas públicas para os surdo, como a melhoria nos concursos públicos.  

Qualificação e valorização profissional - O vice-presidente da Associação de Surdos de Vitória da Conquista (ASVC), Gabriel dos Santos Oliveira, destacou a necessidade de  valorização dos interpretes de libras em Vitória da Conquista, destacando leis que aguardam regulamentação no município. “Precisamos ter qualificação e valorização dos interpretes de libras. Existe uma lei que já aprovada no Congresso, mas ainda não foi regulamentada aqui no município. Infelizmente, os interpretes ainda são contratados como técnico administrativo”, lamentou.

Avanços e desafios na geração de políticas públicas para comunidade surda - A professora Maria Antonieta Tigre lembrou os avanços que a comunidade de surdos de Vitória da Conquista obteve nos últimos anos. “Não estamos numa situação ideal, mas estamos felizes pelas transformações que ocorreram em nossa cidade”, afirmou. Ela fez menção a leis que aguardam por regulamentação no município e destacou a necessidade de formalizar a profissão de intérprete de libras e de garantir percentual de vagas para surdos em seleções e concursos públicos. “Temos surdos capacitados para ocupar essas vagas. Porém, se fizer as provas somente em língua portuguesa, não conseguiremos chegar nesse lugar de inclusão”, ressaltou Antonieta.

Luta por respeito aos direitos - O advogado Ernani Silva destacou a luta que trava em sua profissão para garantir o respeito aos direitos das pessoas com surdez. “Hoje é um dia de alegria, um dia em que as pessoas, a classe muda e surda está sendo homenageada. É de grande valia esse dia. Venho lutando pela classe já a algum tempo na minha profissão até o ponto que consigo, com a ajuda das intérprete de Libras”, disse. “O direito deles já vem sendo previsto desde 88 na Constituição. Eu continuarei na luta por vocês. Podem contar comigo sempre que precisarem. Eu estarei à disposição de todos”, concluiu

Lado a lado com os surdos - Jaqueline França, representando a prefeitura municipal, agradeceu pela presença no evento e ressaltou a importância dessa discussão, lembrando que ainda falta percorrer longos caminhos. 

“Esse espaço é para valorizarmos a língua brasileira de sinais e a importância da comunidade surta”, falou.  Lembrou que essa é uma caminhada de anos e que jamais se distanciará dos surdos, “pois eu sou dependente de vocês.  Vocês não estão sozinhos, estamos aqui para cobrarmos a libras em todos os lugares”. Finalizou dizendo que entende que em todos os lugares os surdos precisam ser entendidos através das libras e relatou algumas necessidades dos surdos

A luta por igualdade e por mais direitos - A coordenadora do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão para Pessoas com Deficiência (Naipd) da Uesb, Mileide Santos, falou sobre a importância de políticas públicas para atender essas pessoas. “Hoje é um dia especial para toda comunidade surda, primeiro porque não envolve só o surdo, mas todos os seus familiares, bem como professores e pessoas que estão envolvidas dentro desse cenário. Então, essa sessão serve para que possamos tratar da importância de ações de políticas públicas para essas pessoas, no âmbito da saúde, da educação e da acessibilidade”, salientou. Mileide apontou para as superações já registradas, mas destacou também os desafios impostos a toda comunidade de surdos de Conquista. “Temos muito ainda para fazer. Nós lutamos e prezamos por igualdade. Estamos lutando por mais direitos e por mais acessibilidade”, pontuou.

Falta de intérpretes - A secretária da Associação de Surdos de Vitória da Conquista, Eslane Mendes, se queixou da falta de intérpretes de Libras no serviço público. “Aqui em Vitória da Conquista tem mais ou menos 450 surdos, fora aqueles que a gente não conhece. Se um surdo precisa de atendimento não tem comunicação. Faltam intérpretes de Libras”, apontou. “O surdo fica sem aquele atendimento”, complementou ela.

Eslane relatou ainda que um homem surdo teve dificuldades no atendimento em um hospital por falta de intérprete. “Lá não tinha o intérprete para fazer a tradução. Aqui na Câmara não tem intérprete. Precisamos ter intérpretes na Câmara, nos hospitais”, cobrou.

História dos surdos - O vereador Dr. Augusto Cândido (PSDB) fez relatos sobre sua convivência com pessoas surdas e relatou a importância do dia nacional do surdos, fazendo menção a história da primeira escola de surdos no Brasil. “Cerca de 10 milhões de brasileiros  são surdos. Temos que olhar mais para a categoria”, falo. Finalizou colocando o seu mandato a disposição para ajudar.




Prestação de Contas Anual
Acesse o Prestação de Contas
  Live Offline
Rádio Câmara 90.3
Rádio Câmara 90.3
Facebook
Calendário

Novembro 2022
18

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30